Bg_site_br

0

Porque as avós acertam sempre, e queijo fresco feito em casa

05/06/2014 - 0 Comentários - Receitas |

Na minha humilde opinião, o maior elogio que alguém pode fazer a uma pessoa que gosta de cozinhar é quando dizem "Nossa, você faz [preencha a lacuna] igual à minha avó". Ou "igual à minha mãe" (só que vó é superlativo de mãe, né).

Pode ser em relação a uma técnica de cozinha ou em relação ao gosto de uma comida pronta.

Penso que isso é porque avós em geral já tiveram pelo menos o tempo de meia vida pra ir aprendendo e testando o que funciona mais.

Aí, mesmo quando uma receita desanda, rapidinho elas pensam em um jeito de consertar que fique delícia também.

Outro dia consegui resgatar uma receita que deu errado, e me senti muito ninja.

Fava fazendo iogurte, mas com o calorão que tava ele passou do ponto, ainda mais que eu deixei fora da geladeira por mais tempo do que deveria.

O iogurte talhou e pensei "tá, o que eu faço agora?".

Lembrei de um post da Tamara, esse aqui.

Então coei em um guardanapo de pano aquele iogurte talhado (1 litro) e deixei descansar na geladeira por umas 8 horas para que fosse perdendo o soro.

O método é deixar o iogurte dentro do pano, o pano dentro de uma peneira grande, a peneira dentro uma tigela que recolha o líquido. E sempre que o nível de líquido for alto o suficiente para que ele toque a peneira, deve ser transferido para outro recipiente. (Tem foto disso logo abaixo).

Nessa receita o soro não serve pra mais nada, mas diz a Tamara que é muito nutritivo e pode ser usado em smoothies e vitaminas de frutas.

Feito assim, mesmo deixando drenar por várias horas, o resultado foi uma pasta, o gosto parecido com coalhada, mas bem menos ácido e não tão seco.

Pensei que isso podia ter a ver com o fato de que utilizei leite semi-desnatado para fazer o iogurte, talvez não houvesse gordura o suficiente para fazer o queijo solidificar.

Depois, pensando melhor, me veio a seguinte idéia: talvez a trama do tecido do guardanapo seja muito fechada e não permita que liquido passe.

Usei principalmente em molhos para acompanhar salada fresca.

Da segunda vez que tentei fazer este queijo foi a mesma coisa: a partir de (1,5 litro de) iogurte feito com leite semi-desnatado. Mas desta vez o iogurte estava normal, sem talhar, por isso adicionei o sumo de 1 limão.

E em vez de coar o iogurte em um guardanapo de pano, coei em pano de fralda (usei dois panos sobrepostos). Para que a forma do queijo não ficasse muito esparramada, amarrei os panos com arame de embalagem de pão. Vendo a foto vai fazer mais sentido:

No mais, tudo igual. Essa segunda versão resultou num queijo que pode ser cortado com a faca, apesar de ser macio.

Quem quiser pode acrescentar 1 ou 1 1/2 colher de chá de sal, mas sem sal acho mais versátil: pode passar no pão, servir com fruta, goiabada, preparar cheesecake e doces em geral, além de ficar bom em quiches, recheios de empanada, dissolvido na sopa ou em molhos para salada.

Afinal de contas, se der vontade de tirar o sal não vai dar. Mas se quiser acrescentar é facinho.

Todas as vezes que fiz esqueci de pesar, mas parece-me que 1,5l de iogurte rende uns 400g de queijo.

Deixar um Comentário